Acidentes com eletricidade assustam moradores do Grande Recife

O número de pessoas vítimas de choque elétrico nos últimos anos preocupa quem anda nas ruas da Região Metropolitana doRecife. Postes em situação de risco, inclinados, rachados e cheios de fios soltos representam perigo e um alerta para a população. Nos últimos seis anos, a média de mortes causadas por descargas de rede elétrica é de quase 19 pessoas. Só em 2011, foram 31 casos fatais registrados, como mostrou o NETV 1ª Edição desta sexta (14).

Um dos casos mais recentes foi em Olinda, quando a agente de viagens Cinthya Araújo recebeu uma descarga elétrica após pisar em uma placa de ferro da rede elétrica da Celpe. Com o pé imobilizado, ela vai processar a companhia por perdas e danos, já que vai ficar sem trabalhar durante o Carnaval, maior evento turístico do estado.

A turismóloga caiu no chão após a descarga elétrica. Com queimaduras de terceiro grau, os médicos não descartam a chance de operação. “O médico disse que era uma queimadura por choque de terceiro grau, profunda, e que há a possibilidade de fazer uma cirurgia. Eu estava de sapatilha de borracha, então de alguma forma diminuiu a potência elétrica, porque poderia ter sido fatal”, afirmou.

Como trabalha com agência de viagens, Cinthya ganha por produção. Além do prejuízo à saúde, ela vai ter que ficar sem trabalhar durante a folia. “As perdas e danos, o que ela vai deixar de aferir nesse período, a gente vai buscar da Celpe, para que ela arque com as consequências”, afirmou o advogado de Cinthya, Ricardo Carvalho.

Segundo o presidente da Associação dos Engenheiros Eletricistas de Pernambuco, Aluísio Maluf, a tampa da caixa onde os fios ficam embutidos em que a mulher pisou apresentava vazamento de corrente elétrica. “Aqui no Sítio Histórico houve uma ação para embutir os cabos elétricos; eles são internos, subterrâneos, ficam nas caixas de expressão. Deve ter acontecido um vazamento e quando a pessoa passou, levou um choque. Teria que ter um sistema de proteção eficaz para que, quando tivesse um vazamento, fosse desligado imediatamente”, aponta.

A situação é constantemente fiscalizada, de acordo com o diretor de Regulação Econômica da Agência de Regulação de Pernambuco (Arpe), Hélio Lopes Carvalho. “Tem uma programação de fiscalização pela gestão comercial, como a qualidade e manutenção do sistema, então fazemos isso através de fiscalização periódica, com aplicação de multa”, afirmou. A Arpe ainda informou que está investigando os casos de choque elétrico que ocorreram esta semana. Em casos de acidentes, a ouvidoria da Arpe pode ser acionada pelo telefone 0800 727 0167.

A assessoria da Celpe informou que no caso relatado, os profissionais têm verificado a rede subterrânea constantemente para não haver reincidência. A assessoria ainda afirmou que, na média nacional, 51% dos acidentes envolvendo rede elétrica são oriundos da interferência de construção e manutenção civil, número que cai para 44% em Pernambuco. Outra parcela dos acidentes está relacionada à intervenções na rede, como as ligações clandestinas.

No caso de ver um fio caído no solo, a Celpe recomenda se afastar do local e notificar a companhia pelo telefone 0800 081 0196.